domingo, 28 de agosto de 2011

"Better Days", de Eddie Vedder. Um som que vale a pena conferir.

Do filme Comer Rezar Amar

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Tenho Tanto Sentimento


Tenho Tanto Sentimento


Tenho tanto sentimento
Que é freqüente persuadir-me
De que sou sentimental,
Mas reconheço, ao medir-me,
Que tudo isso é pensamento,
Que não senti afinal.
Temos, todos que vivemos,
Uma vida que é vivida
E outra vida que é pensada,
E a única vida que temos
É essa que é dividida
Entre a verdadeira e a errada.
Qual porém é a verdadeira
E qual errada, ninguém
Nos saberá explicar;
E vivemos de maneira
Que a vida que a gente tem
É a que tem que pensar.


Fernando Pessoa

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

Letra e Poesia - Feliz, Comigo

FELIZ, COMIGO

Não... Eu não estou querendo viver uma paixão arrebatadora
- Paixões assim são as que proporcionam os mais altos sonhos
E também as maiores quedas...
Mas, acredite, eu sou capaz de me apaixonar todos os dias!

E também não estou interessado em encontrar quem me ame de verdade
Já encontrei estas pessoas há muito tempo
E aquelas que não estão ao meu lado
Eu carrego comigo, em meu peito.

Ah, eu também não estou querendo viver um grande amor
Eu vivi todos os amores que a vida me trouxe
E foram lindos
Foram maravilhosos
E ainda são grandes amores, e vivem comigo, mesmo que já se tenham passado

Também não estou procurando alguém para toda a vida
Nem procuro alguém para um pouquinho apenas
Não estou procurando absolutamente nada

Neste momento, apenas retraio-me comigo,
E estou descobrindo o prazer e a felicidade enorme que é
Amar mais e melhor a mim mesmo.

Augusto Branco

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Caixa vintage redonda.



Mas um trabalhinho pronto, esta caixa já esta a venda na minha loginha, pode ser só a caixa, como também esta composição que fiz com alguns produtos de banho, 3 sabonetes e um creme hidratante.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

Letra e Poesia - Vistas Cansadas

Esta semana não tenho um poema e sim um texto muito interessante, vale a pena ler e refletir.
 
Vista Cansada       

Otto Lara Resende, Folha de S Paulo 23/02/92

Acho que foi o Hemingway quem disse que olhava cada coisa à sua volta como se a visse pela última vez. Pela última ou pela primeira vez? Pela primeira vez foi outro escritor quem disse. Essa ideia de olhar pela última vez tem algo de deprimente. Olhar de despedida, de quem não crê que a vida continua, não admira que o Hemingway tenha acabado como acabou. Fugiu enquanto pôde do desespero que o roía - e daquele tiro brutal.
Se eu morrer, morre comigo um certo modo de ver, disse o poeta. Um poeta é só isto: um certo modo de ver. O diabo é que, de tanto ver, a gente banaliza o olhar. Vê não-vendo. Experimente ver pela primeira vez o que você vê todo dia, sem ver. Parece fácil, mas não é. O que nos cerca, o que nos é familiar, já não  desperta curiosidade. O campo visual da nossa rotina é como um vazio.
Você sai todo dia, por exemplo, pela mesma porta. Se alguém lhe perguntar o que é que você vê no seu caminho, você não sabe. De tanto ver, você não vê. Sei de um profissional que passou 32 anos a fio pelo mesmo hall do prédio do seu escritório. Lá estava sempre, pontualíssimo, o mesmo porteiro. Dava-lhe bom dia e às vezes lhe passava um recado ou uma correspondência. Um dia o porteiro cometeu a descortesia de falecer.
Como era ele? Sua cara? Sua voz? Como se vestia? Não fazia a mínima ideia. Em 32 anos, nunca o viu. Para ser notado, o porteiro teve de morrer. Se um dia no seu lugar estivesse uma girafa, cumprido o rito, pode ser que também ninguém desse por sua ausência. O hábito suja os olhos e lhes baixa a voltagem. Mas há sempre o que ver. Gente, coisas, bichos. E vemos? Não, não vermos.
Uma criança vê o que o adulto não vê. Tem olhos atentos e limpos para o espetáculo do mundo. O poeta é capaz de ver pela primeira vez o que, de tão visto, ninguém vê. Há pai que nunca viu o próprio filho. Marido que nunca viu a própria mulher, isso existe às pampas. Nossos olhos se gastam no dia a dia, opacos. É por aí que se instala no coração o monstro da indiferença.                   


segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Fotos bacanas da nossa Natureza.




Fotos bacanas que selecionei, ainda das minhas férias, rss, desculpem posta-las em doses homeopáticas é que conforme vou revendo, vou tendo novas inspirações e acho interessante deixa-las neste meu diário.

sábado, 6 de agosto de 2011

Matando a saudade.


Recebi algumas fotos, dos amigos e primos de Salvador, bateu uma enorme saudade. Vou deixa estas aqui, pra dar água na boca.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Seu Poema favorito Postado aqui.


Nem tudo é fácil

É difícil fazer alguém feliz, assim como é fácil fazer triste.
 
É difícil dizer eu te amo, assim como é fácil não dizer nada
É difícil valorizar um amor, assim como é fácil perdê-lo para sempre.
É difícil agradecer pelo dia de hoje, assim como é fácil viver mais um dia.
 
É difícil enxergar o que a vida traz de bom, assim como é fácil fechar os olhos e atravessar a rua.
 
É difícil se convencer de que se é feliz, assim como é fácil achar que sempre falta algo.
 
É difícil fazer alguém sorrir, assim como é fácil fazer chorar.
 
É difícil colocar-se no lugar de alguém, assim como é fácil olhar para o próprio umbigo.
 
Se você errou, peça desculpas...
 
É difícil pedir perdão? Mas quem disse que é fácil ser perdoado?
 
Se alguém errou com você, perdoa-o...
 
É difícil perdoar? Mas quem disse que é fácil se arrepender?
 
Se você sente algo, diga...
 
É difícil se abrir? Mas quem disse que é fácil encontrar
 
alguém que queira escutar?
 
Se alguém reclama de você, ouça...
 
É difícil ouvir certas coisas? Mas quem disse que é fácil ouvir você?
Se alguém te ama, ame-o...
É difícil entregar-se? Mas quem disse que é fácil ser feliz?
 
Nem tudo é fácil na vida...Mas, com certeza, nada é impossível
 
Precisamos acreditar, ter fé e lutar
 
para que não apenas sonhemos, Mas também tornemos todos esses desejos,
 
realidade!!!

Cecília Meireles

Colaboradora, Any A. Pereira, obrigado mais uma vez.